fbpx
Evento on-line e almoço de negócios em Canoas.                “O impacto das eleições americanas nos seus negócios”.

Evento on-line e almoço de negócios em Canoas. “O impacto das eleições americanas nos seus negócios”.

Na próxima terça-feira, dia 27.10 às 12h, em parceria com a CICS (Câmara da Industria, Comércio e Serviços) de Canoas. Nosso sócio Adriano Cantreva, direto de Nova Iorque, estará (on-line) com empresários da região, associados e convidados da CICS, conversando sobre os impactos das eleições americanas nos mercados financeiros globais. Não perca!

Site do evento: www.pmfo.com.br/cics

Resumo de Imprensa: 19.10

Confira as principais notícias com a nossa marca e especialistas nos últimos dias.

Os planos ambiciosos da Portofino para o IPO
https://exame.com/mercados/os-planos-ambiciosos-da-portofino-para-o-ipo/

Dólar tem maior alta para setembro em 5 anos em mês marcado por temor fiscal; moeda sobe 40% em 2020
https://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN26L3MN-OBRTP

Dólar ronda estabilidade depois de intenso vaivém com noticiário fiscal
https://lta.reuters.com/article/dolar-abre-idLTAKBN26S1YF

Mercado Aguarda Pacote de Estímulos nos EUA – Entrevista ao Vivo com Adriano Cantreva
https://www.youtube.com/watch?v=7qyQfoDuDM4&t=4827s

Sucessão e muito mais: como Investir pensando nos filhos
https://spacemoney.com.br/dia-das-criancas-como-investir-pensando-nos-filhos/

Títulos do Tesouro Direto estão pagando juros maiores: vale a pena comprar?
https://www.cnnbrasil.com.br/business/2020/10/16/titulos-do-tesouro-direto-estao-pagando-juros-maiores-vale-a-pena-comprar

Ações dos bancos americanos na bolsa estão travadas
https://veja.abril.com.br/economia/acoes-dos-bancos-americanos-na-bolsa-estao-travadas/

Dólar fecha em queda, a R$ 5,23, após BC americano manter taxa de juros próximo a zero
https://oglobo.globo.com/economia/dolar-fecha-em-queda-r-523-apos-bc-americano-manter-taxa-de-juros-proximo-zero-24642565

Coronavírus: avanço da doença, impactos no mercado financeiro e prevenção.

Coronavírus: avanço da doença, impactos no mercado financeiro e prevenção.

O avanço do coronavírus (COVID-19) em países europeus tem gerado tensão na economia mundial, afetando negativamente a Bolsa de Valores brasileira e também outras bolsas internacionais.

Na última sexta-feira (28) a Ibovespa fechou em alta de 1,15%, a 104.171 pontos, mas acumulou queda de 8,37% na semana, no pior resultado semanal desde 2011. Após apostas de que bancos centrais tomarão medidas para amenizar o efeito do coronavírus na economia, a Ibovespa subiu 2,36% na segunda-feira (2), 106.625,41 pontos, tendo alcançado 107.220,02 pontos na máxima da sessão.

Será que o aumento de casos do coronavírus justifica o estresse sentido pelas economias globais na semana passada?

O artigo de hoje esclarece diversas dúvidas sobre o tema. Para saber mais, siga a leitura.

Coronavírus: os investidores devem se preocupar com o alastramento da doença?

De acordo com o portal World O Meters, que acompanha em tempo real o andamento do coronavírus pelo mundo, atualmente a doença afeta 58 países, com destaque para a China (80.152 casos confirmados), Coréia do Sul (5.186 casos confirmados), Iran (2.336 casos confirmados) e, por fim, a Itália (2.036 casos confirmados).

O grande causador da tensão que estamos verificando entre os mercados globais se deve ao crescimento dos casos fora da China, sobretudo em países europeus e regiões com grande circulação de turistas.

Mas será que os números demonstrados justificam o nervosismo sentido pelas economias globais? Os investidores devem se preocupar com o avanço da doença?

De acordo com o Relatório Especial sobre o Coronavírus, divulgado pelo BTG Pactual Digital, em todas as últimas 5 epidemias globais dos anos 2000 – SARS (2003), Gripe do Frango (2006), Gripe Suína (2009), Ebola (2014) e Zika (2016) –, os principais índices de renda variável ao redor do mundo (e no Brasil) retomaram fortes rentabilidades entre 3, 6 e/ou 12 meses após o auge da epidemia. No caso da H1N1 em 2009, por exemplo, o Brasil sofreu com aproximadamente 2 mil mortes e, mesmo assim, o Ibovespa se recuperou entre 3 a 6 meses.

Desta forma, é importante que os investidores compreendam que sim, o momento exige cautela. Precisamos manter a atenção sobre os próximos acontecimentos, para que toda a movimentação realizada seja extremamente calculada. Ao mesmo tempo, vale lembrar que mais de 90% dos casos de coronavírus estão localizados na China, as taxas de letalidade estão reduzindo e novos casos sérios e críticos têm diminuído.

Para aqueles investidores que possuem uma mentalidade de longo prazo, não há o que temer. Como afirma Warren Buffett, “o mercado de ações é um dispositivo para transferir dinheiro dos impacientes para os pacientes”. Por isso, quando falamos sobre a aplicação em renda variável, não podemos nos esquecer da importância da persistência para a obtenção de bons rendimentos.

Saiba como se proteger do coronavírus

Em relação ao estresse sentido pela economia global, entendemos que não deve haver preocupação entre os investidores que possuem ambições de longo prazo, tendo em vista que o coronavírus não impactou as expectativas dos indicadores da economia real brasileira para 2022 ou 2023.

No entanto, os cuidados com a saúde devem ser mantidos, principalmente para quem costuma frequentar locais com grande circulação de pessoas (como shoppings center e aeroportos) e para quem está realizando uma viagem internacional para países europeus.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou em um comunicado que o Covid-19 é menos virulento que outras epidemias similares de anos anteriores. Além disso, o atual coronavírus tem menor potencial de transmissão que o sarampo e menor letalidade que o H1N1.

Os sintomas da doença são similares a um resfriado, principalmente respiratórios, como febre, tosse e dificuldade para respirar.

As recomendações do Ministério da Saúde Brasileiro para a prevenção do coronavírus são:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não higienizadas;
  • Ficar em casa se estiver doente;
  • Evitar o contato próximo com pessoas que estejam com sintomas de gripe e resfriados (espirros, tosse e coriza);
  • Ao espirrar ou tossir, cobrir a boca e o nariz com um lenço de papel e jogá-lo no lixo;
  • Desinfetar objetos e superfícies tocadas com frequência (aqui, muita atenção para os smartphones, que devem ser sempre higienizados).

Se você possui alguma dúvida relacionada ao coronavírus, deixe o seu comentário.

Princípios de Ray Dalio: o que aprendemos com o fundador da Bridgewater

Você já ouviu falar da Bridgewater Associates? A empresa americana é especializada em gestão de investimentos e fundos hedge e, desde sua fundação, em 1975, obteve um crescimento estrondoso. Para se ter uma ideia, somente em 2019, eles tiveram um total de US$ 109 bilhões sob sua gerência.

O fundador, Ray Dalio, além de lidar com as questões empresariais, também é escritor de diversos livros, e é sobre isso que vamos falar neste artigo.

“Cabe a você decidir o que quer tirar da vida e o que você quer retribuir a ela”. Ray Dalio

As valiosas lições contidas no livro Princípios de Ray Dalio

O livro Princípios traz muitos aprendizados e reflexões sobre a vida e a maneira que conduzimos nosso trabalho na Portofino Investimentos. Pensando nisso, decidimos trazer neste artigo alguns dos principais insights obtidos com a leitura.

1. Tome decisões ponderadas pela credibilidade.

Pare e pense: por que estou fazendo o que estou fazendo? Partindo desse princípio, é importante ponderar se realmente estamos certos de nossas escolhas. Precisamos entender que, às vezes, podemos sim estar errados. Isso fará com que possamos ver caminhos que antes não eram considerados e opiniões que não teriam tanta importância, mas que trazem bons resultados a longo prazo. Como afirma Dalio, “não confunda o que você gostaria que fosse certo com o que realmente é certo”.

2. Computadores fornecem informações valiosas, mas…

Sim, somos extremamente dependentes de máquinas e elas nos oferecem uma vantagem enorme – capacidade de organização, memória, algoritmos inteligentes que nos auxiliam na tomada de decisões… Mas nada substitui a capacidade humana de estratégia, de contato com o outro e, acima de tudo, de empatia e análise.

3. Diferencie pessoas de mente aberta daquelas de mente fechada

Somente há um tipo de pessoa que possibilita ao seu negócio novas percepções e diferentes formas de realizar processos – e posso garantir, não é com aqueles que acham que sabem tudo. Pessoas que gostam de expandir seus conhecimentos pensam em todas as possibilidades, aceitam tudo que lhes é ofertado e, a partir disso, filtram o que é construtivo. Quem tem a mente fechada pensa que já aprendeu e viu tudo que precisava, e nada do que poderá ver de novo será útil – um tanto mesquinho, certo?

4. “Isso deveria ser assim”. Será?

Uma das lições mais valiosas que o livro traz é a que segue: “não se afere às suas visões de como as coisas “deveriam” ser, porque elas farão com que negligencie como elas realmente são”. Você já refletiu sobre o fato de que, muitas vezes, nosso ponto de vista pode atrapalhar a objetividade que tanto buscamos? Para que possamos ter bons resultados, é necessário que sejamos analíticos ao invés de emotivos – principalmente no quesito gestão de patrimônio. Recentemente, escrevemos um artigo sobre como os estudos de finanças comportamentais podem auxiliar o investidor a ter um melhor desempenho no portfólio.

5. Maturidade é a capacidade de abrir mão de boas oportunidades para ir atrás de oportunidades ainda melhores.

Essa é sobre zona de conforto: se estou bem onde estou, por que devo mudar? Certamente, valerá a pena. Como diz o ditado, a vida começa onde o medo termina. Portanto, não podemos ter medo de querer alçar voos maiores, mesmo que já estejamos numa altura considerável, pois a vista pode ser ainda mais bonita lá de cima – e o caminho até lá, formidável! Como diz Ray Dalio, “não deixe a dor ficar no caminho do progresso”.

E você, já leu o livro Princípios, de Ray Dalio? Gostou? Comente aqui os seus principais insights sobre ele.

Londres: o que fazer para sair do convencional

Londres: o que fazer para sair do convencional

Londres é conhecida por ser a terra da Rainha, do chá das cinco, do James Bond e do tempo nublado. Para os turistas, os pontos clássicos para quem visita o local pela primeira vez já são pré-definidos: dar uma volta na London Eye, passeios pela London Bridge, pelo Palácio de Buckingham e, se o tempo permitir, um piquenique no Hyde Park.

A verdade, porém, é que a metrópole britânica vai muito além desses locais e pode oferecer joias pouco conhecidas – se você souber aonde ir, é claro!.

Neste artigo, estão reunidas as dicas de nossos colaboradores, clientes e parceiros que já visitaram a cidade britânica e quiseram compartilhar conosco algumas das suas descobertas.

Siga a leitura para saber mais!

“Estou em Londres, o que fazer?” Conheça locais que oferecem cultura e boa gastronomia

1) German Gymnasium

O prédio histórico funcionava, no século XIX, como pista de atletismo para a comunidade alemã local e, em 1886, foi o primeiro local para os Jogos Olímpicos indoor. Foi reformado e virou um ponto de encontro para quem curte o melhor da culinária mundial em um lugar só, com café, restaurante e bar. Como o nome sugere, o menu tem um toque europeu, incluindo uma seleção de doces alemães.

German Gymnasium

2) Broadway Market

Para os amantes de gastronomia que amam feirinhas, o Broadway Market é a opção ideal. Produtores locais se reúnem para vender itens de mercearia deliciosos, como queijos e pães, mas também é possível encontrar cosméticos e peças decorativas.. Além do tradicional mercado de rua nos sábados, o local oferece mais de 70 lojas, cafés e restaurantes abertos sete dias por semana.

Broadway Market

3) Camden Town Brewery

Essa dica é exclusiva para os amantes de uma boa cerveja. A Camden Town Brewery permite fazer um passeio pelas instalações, onde é possível degustar seis tipos diferentes da bebida – Camden Hells e Unfiltered Hells, ambas do tipo lager, a Camden Pils (pilsen), a Camden Pale Ale, a Gentleman’s Wit (trigo) e Camden Ink (stout). Além disso, se a fome bater, você pode provar comidinhas de rua na área externa do local.

Para mais informações sobre a Camden Town Brewery, basta acessar o site da cervejaria: https://www.camdentownbrewery.com/

Camden Town Brewery

Onde comprar em londres

1) Burlington Arcade

Nem só de Oxford St. vivem os britânicos! Na Burlington, é possível comprar as principais marcas de luxo em um só lugar. De quebra, ainda dá para apreciar a belíssima arquitetura do local.

Burlington Arcade

2) Kensington

Um dos bairros mais requintados da capital inglesa abriga ruas com opções para todos os bolsos. Na High Street Kensington, marcas de fast fashion para quem quer ver as peças do momento: Zara, H&M, Urban Outfitters… já na King’s Road, muito luxo com Chanel, Louis Vuitton, Burberry, Saint Laurent e outras marcas!

Kensington

3) Twinings

Nada mais britânico que tea with biscuit, certo? E pode ser um delicioso souvenir! Na loja da tradicional marca de chás, você pode encontrar combinações clássicos, como maçã e canela, a sabores exóticos, como menta marroquina, além dos shortbreads, biscoitinhos perfeitos para um lanche da tarde. A Twinings Store está localizada em 216 Strand, Temple, London WC2R 1AP.

Twinings

 

Dicas extras sobre cultura e paisagens em Londres

1) Chelsea Physic Garden

O Chelsea Physic Garden é um dos mais antigos jardins botânicos da Europa – foi aberto em 1673! Se você é fã de espécies de plantas exóticas, o CPG é o local certo. Depois do passeio, os visitantes podem se acomodar em uma das mesas dispostas no jardim para apreciar a vista com um delicioso chá.

Chelsea Physic Garden

2) Leadenhall Market

Algum fã de Harry Potter por aí? O Beco Diagonal, onde o bruxinho ia comprar seus materiais de Hogwarts, foi filmado em Leadenhall Market, localizado na região do centro financeiro londrino. É bem movimentado durante a semana, mas, aos sábados e domingos, a visita é bem mais tranquila!

Leadenhall Market

3) Tate Britain

Para quem ama visitar galerias e apreciar obras, esse museu pode ser uma boa ideia. Menos conhecido, ele mostra a arte ao longo dos séculos, expondo trabalhos de artistas como Francis Bacon e William Blake.

Tate Britain

E então, gostou das nossas dicas? Se você já foi a Londres, deixe a sua sugestão de visita nos comentários!

Economia para 2020: fatores de risco no cenário internacional

Após anos consecutivos de frustração e instabilidade, a perspectiva de uma economia mais liberal gera expectativas positivas para o mercado financeiro. Foi o que pudemos ver no artigo “Economia Brasil 2020: pesquisas apontam otimismo“, recentemente publicado em nosso blog.

No Brasil, a economia para 2020 reserva o crescimento da chamada “economia real”, onde veremos a queda das taxas de desemprego e o aumento do consumo, fazendo com que o país cresça como um todo. Para Mário, integrante do time de especialistas da Portofino Investimentos, “isso fará com que tenhamos uns dos bons anos da economia no país”.

No entanto, Mário também explica que devemos ter atenção a alguns fatores de risco, principalmente relacionados à economia internacional.

Siga a leitura e saiba mais.

Economia para 2020: pontos de atenção no mercado internacional

A 23ª edição da Pesquisa Global de CEOs da PwC revela, em parte, o otimismo dos CEOs brasileiros para a economia brasileira em 2020. No entanto, também podemos perceber pontos de preocupação entre os empresários. De acordo com a última edição da pesquisa, 45% dos CEOs brasileiros apostam em desaceleração do crescimento global.

O índice vai de encontro com os estudos realizados por Mário e a equipe de economistas da Portofino Investimentos. Nos Estados Unidos, por exemplo, o cenário político mostra-se desafiador, visto que a corrida eleitoral deve colocar muita volatilidade nos mercados. A batalha pela candidatura pelo lado dos democratas está indefinida e, por mais que Trump seja favorito, a ameaça de um candidato de esquerda vencer é o bastante para gerar incertezas no mercado financeiro global.

A Europa, por sua vez, continuará apresentando dificuldade de crescimento, mantendo os dados na casa de 0,9%. A inflação também tem previsão negativa, ainda com muita dificuldade para atingir a sua meta de 2% – atualmente, a inflação na zona do euro é de 1,2%.

Coronavírus e seu impacto na economia para 2020

Mário declara que o avanço do coronavírus na China representa uma grande preocupação na economia global, que não estava no cenário-base de nenhum economista. Dados apontam que a China possui quase 500 mortes por coronavírus e mais de 24 mil casos confirmados. Além disso, cerca de 900 pessoas já se recuperaram do vírus. A epidemia levou as autoridades chinesas a impor restrições em viagens e fechar atrações turísticas, escolas, empresas e demais centros que pudessem trazer riscos para a disseminação da doença.

Os riscos do coronavírus para a economia mundial ainda são incertos, no entanto, geram preocupação entre os especialistas.

Hoje, a China representa a 2ª maior economia do planeta, um dos maiores parceiros comerciais do Brasil e, no momento em que o país asiático diminui a demanda por produtos brasileiros, nossa economia é afetada. Por isso, assim como em outros países, a Bolsa de Valores brasileira sentiu negativamente os impactos do coronavírus.

De acordo com o economista Roberto Dumas, o coronavírus representa um impacto negativo no crescimento do PIB chinês, o qual pode decair para 5% em 2020. Ele explica que, se a China cresce menos, a tendência é de que toda a Ásia apresente queda no crescimento, devido às relações comerciais entre os países e, consequentemente, ocorram prejuízos nas commodities metálicas, gerando impacto em países que exportam essas commodities, como Brasil, Chile, Austrália e África do Sul. Dessa forma, é perceptível que o crescimento global precisará ser revisto, visto que o prejuízo nas economias citadas afetam o mundo como um todo.

Desta forma, Mário conclui que “por mais que os ventos sejam favoráveis para a economia brasileira em 2020, é preciso estar atento aos impactos do cenário internacional na carteira de investimentos”.

Se você possui alguma dúvida sobre o cenário econômico em 2020, deixe o seu comentário.