fbpx
Safra escassa, barris abundantes: desafios da indústria vinícola

Safra escassa, barris abundantes: desafios da indústria vinícola

(Tempo de leitura: 4 minutos)

O que você precisa saber?
A produção de vinho está no menor nível em 62 anos, mesmo com estoques transbordando, devido a fatores como condições climáticas adversas. Medidas, como a conversão em etanol, são tomadas para lidar com o excesso, enquanto mudanças nas preferências de consumo também afetam a demanda, levantando questões sobre o futuro da indústria vinícola.


Nos vinhedos de todo o mundo, as uvas amadurecem sob o sol escaldante, prometendo uma safra de vinho excepcional. No entanto, no último ano, os produtores enfrentam um desafio peculiar: a menor produção de vinho em 62 anos. Paradoxalmente, os estoques de vinho estão transbordando, desafiando todas as expectativas. Como é possível que em meio à escassez de produção, o vinho esteja se acumulando em barris e garrafas ao redor do mundo? A resposta revela nuances fascinantes sobre a indústria vinícola moderna e sua interação delicada com a demanda global.

A OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho, em português) atribuiu os baixos índices de produção de 2023 ao clima ruim, incluindo as geadas, tempestades e períodos de seca. Segundo a organização, a produção de vinho caiu em quase todos os países da União Europeia, que é responsável por 60% da produção mundial total.

Os rendimentos caíram 14% na Espanha e 12% na Itália, onde o tempo seco reduziu a colheita de uvas do ano passado. Mas manteve-se perfeitamente na França, o que significa que o país é hoje o maior produtor mundial, ultrapassando a Itália.

No Brasil, o levantamento estimou um volume de produção de 2.3 mhl (milhões de hectolitros, em português. Um hectolitro equivale a 100 litros e é usado como unidade de medida para vinho, cerveja e outros produtos agrícolas). Este valor representa uma redução de 30% em relação à alta produção em 2022, e é principalmente devido à falta de chuva em algumas regiões vinícolas importantes, como o Rio Grande do Sul.

Contudo, apesar da queda mundial da produção, a bebida está sobrando. Esse excesso tem feito com que fazendeiros mudem sua produção ou, em alguns casos, até mesmo destruam as plantações ao invés de ficar com o produto estocado por tempo indeterminado. Na França, o governo destinou 200 milhões de euros para ajudar os agricultores em todo o país a arrancar vinhas e enviar seu vinho para ser convertido em etanol. No entanto, a queda na demanda por vinho não se deve apenas a fatores climáticos econômicos, mas também a mudanças significativas nos padrões de consumo.

O que ajuda a explicar essa queda na demanda é que os mais jovens estão bebendo menos álcool do que outras gerações. A parcela de jovens de 18 a 24 anos que bebem álcool três ou mais vezes por semana caiu gradativamente desde 2019, indo de 11% para 8% em 2023. Além disso, está ocorrendo uma mudança no consumo, com o vinho tinto sendo substituído por vinhos espumantes, rosés ou brancos com teor alcoólico mais baixo.

Em um contexto em que o consumo global está em declínio e os estoques são elevados em muitas regiões do mundo, a baixa produção poderá trazer equilíbrio ao mercado mundial, explicou a OIV. Contudo, e se as questões climáticas continuarem a afetar a produção de vinhos? Entraremos em um “novo normal” com uma produção menor também devido ao comportamento das novas gerações?

A menor produção em décadas nos leva a questionar a dinâmica delicada que governa esse mundo encantador. Enquanto os desafios do clima e da demanda se entrelaçam, vemos produtores se adaptando em busca de equilíbrio. Ao mesmo tempo que levantamos nossas taças para celebrar os vinhos que nos encantam, lembramos que, mesmo nos tempos de incerteza, o espírito do vinho sempre encontra seu caminho, fluindo com elegância e persistência através dos vinhedos do mundo.

Gestão Dinâmica | 26.03.2023 – Observar a política e jogar na defesa
Tributação de offshores e aplicações financeiras no exterior
DCBE 2024
Portofino Apoia
Em busca do equilíbrio: repassando a saúde mental no mundo moderno

Em busca do equilíbrio: repensando a saúde mental no mundo moderno

Em busca do equilíbrio: repensando a saúde mental no mundo moderno

(Tempo de leitura: 4 minutos)

O que você precisa saber?
A saúde mental é um tema de cada vez maior importância em meio às pressões da vida moderna. Uma pesquisa global revela que o Brasil, entretanto, ainda tem um longo caminho a evoluir em relação a esse assunto.


Em meio à agitação do mundo moderno, onde as pressões sociais, econômicas e pessoais parecem ininterruptas, a saúde mental emerge como uma preocupação crucial e inadiável. Mais do que apenas a ausência de doença, a saúde mental engloba o bem-estar emocional, psicológico e social de um indivíduo. No entanto, apesar de sua importância inegável, a saúde mental muitas vezes é negligenciada, relegada a um plano secundário em relação à saúde física.

Atualmente, é crucial reconhecer e valorizar a saúde mental como um aspecto fundamental do nosso bem-estar geral.  A pandemia global de COVID-19, por exemplo, trouxe à tona não apenas os desafios físicos da doença, mas também uma crise de saúde mental sem precedentes, exacerbando ansiedades, solidão e estresse em escala global. Essa crise destacou de maneira inegável a necessidade premente de priorizar a saúde mental em todas as esferas da vida, desde as políticas públicas até as práticas individuais de autocuidado.

O ranking The Mental State of the World, publicado pela plataforma neurotech Sapien Labs e que mapeia a qualidade da saúde mental ao redor do globo, mostra que o Brasil ainda tem muito o que evoluir nesse quesito. Nos 71 países que compõem o ranking, o Brasil é o quarto pior, com uma nota de 53 de um total de 110. Além disso, os brasileiros são uns dos que mais relatam sentir stress e dificuldades com a parte mental de sua saúde, com 34% dos respondentes.

O levantamento é organizado em seis eixos específicos: a habilidade de regular emoções e otimismo no futuro; como a pessoa se enxerga nos olhos dos outros; motivação; conexão entre saúde da mente e do corpo; capacidade das funções cognitivas; e desenvoltura para se adaptar, ser resiliente. Destas categorias, apenas em resiliência e motivação o Brasil supera os 70 pontos.

Neste contexto, explorar e promover a saúde mental não é apenas um imperativo moral, mas também uma necessidade prática para garantir sociedades mais resilientes, produtivas e compassivas. 

Diante desse cenário desafiador, iniciativas como a do Instituto Ame Sua Mente se destacam como essenciais para enfrentar os problemas de saúde mental no Brasil. Uma organização da Sociedade Civil que desenvolve projetos pautados em pesquisas científicas e com foco na promoção da saúde mental, redução do estigma, prevenção e manejo de transtornos, tendo o educador da rede pública como principal público.

O instituto foi fundado em 2018, após mais de 10 anos de pesquisas científicas junto a escolas públicas, trabalho realizado por meio do projeto “Cuca Legal”, em parceria com a Escola Paulista de Medicina – EPM/UNIFESP.

Os resultados colhidos a partir dessa iniciativa – que visava a promoção da saúde mental, prevenção e manejo de transtornos na escola através de programas de assistência e letramento em saúde mental – fundamentaram a estruturação do instituto.

Apoie o Instituto Ame Sua Mente e junte-se à luta pela promoção da saúde mental. Visite o site e siga nas redes sociais para saber como você pode fazer a diferença.

https://www.amesuamente.org.br/
Instagram: @ame_sua_mente
LinkedIn: Instituto Ame Sua Mente

Gestão Dinâmica | 26.03.2023 – Observar a política e jogar na defesa
Safra escassa, barris abundantes: desafios da indústria vinícola
DCBE 2024
Portofino Apoia
Tributação de offshores e aplicações financeiras no exterior

Moldando o amanhã: entre o possível e o inimaginável

Moldando o amanhã: entre o possível e o inimaginável

(Tempo de leitura: 3 minutos)

O que você precisa saber:
Os avanços tecnológicos estão desafiando as fronteiras entre ficção científica e realidade. O conceito disruptivo do biohacking, que engloba técnicas digitais para alterar a biologia humana, se destacou com o implante de chip cerebral pela Neuralink, de Elon Musk. Mas quais são as aplicações dessa tecnologia? E os seus possíveis benefícios?


A linha entre o possível e o imaginário torna-se cada vez mais tênue em um mundo onde a tecnologia não apenas acompanha nosso ritmo, mas ousa dançar à frente dos nossos sonhos mais audaciosos. Os avanços tecnológicos, antes considerados limitados por barreiras insuperáveis, agora desafiam os céticos e desempenham papéis que pareciam reservados apenas à imaginação mais fértil.

Estamos em um momento em que a linha divisória entre ficção científica e realidade desvanece, dando lugar a uma narrativa onde a tecnologia não é apenas uma ferramenta, mas protagonista de uma história em constante evolução. 

Neste sentido, o biohacking é um dos conceitos mais disruptivos e intrigantes, usado para se referir ao conjunto de técnicas digitais que alteram a biologia humana. 

O caso mais recente, e provavelmente de maior destaque, é o primeiro implante de chip cerebral em um humano realizado pela Neuralink, empresa do empresário Elon Musk. No caso de Musk, o “Telepathy”, o primeiro dispositivo da empresa, tem por objetivo permitir que humanos controlem dispositivos eletrônicos apenas com o pensamento. 

A tecnologia pode, além de moldar a forma como o homem se relaciona com a máquina, ter um grande impacto na área médica ao se transformar, eventualmente,  em uma opção para o tratamento de doenças motoras ou deficiências visuais. 

Atualmente, já existem intervenções para humanos armazenarem no corpo, através dos microchips, informações e dados, como dados médicos ou crachás de trabalho. Na Holanda, por exemplo, já existem pessoas com implantes de microchips que usam a tecnologia para efetuar pagamentos por aproximação. Diferentemente do país europeu, no Brasil ainda não há legislação e nem aprovação regulatória sobre o biohacking.

Em um cenário em que a tecnologia se encaminha como uma extensão do nosso corpo e mente e uma co-autora do nosso destino, também somos convidados a contemplar não apenas os feitos extraordinários, mas também as preocupações sobre a segurança digital e outros impactos ainda desconhecidos. 

Clicando aqui, você confere uma matéria completa do G1 sobre biohacking e o avanço desses componentes.

Confira outros conteúdos da nossa newsletter

Carteiras administradas: uma abordagem personalizada para seu futuro financeiro
Aprovação da PEC 45 e o impacto sobre as doações em vida em 2024
Governo impõe novas regras para investimentos em LCA e LCI
Portofino Apoia

O whisky mais caro do mundo

O whisky mais caro do mundo

Do cálido abraço de um barril de carvalho ao intrincado balé de grãos selecionados, o universo do whisky é um conto de sabores, tradições e refinamento. O seu nome “whisky” deriva da palavra gaélica “uisge beatha”, que significa “água da vida” e tem sua origem atribuída a monges na Irlanda e Escócia que destilavam bebidas alcoólicas por volta do século XV.

O universo dos whiskies reserva segredos e nuances fascinantes, a começar por toda a experiência que envolve a degustação da bebida, com a observação de cor, olfato, paladar e sensação ao engolir. A madeira, principalmente o carvalho, contribui com sabores complexos ao whisky ao longo dos anos, adicionando camadas de sabor e aroma.

Dentre as inúmeras curiosidades do mundo da coleção dos destilados, no último mês, o Macallan 1926 60 anos, com um rótulo projetado pelo artista italiano Valerio Adami, quebrou o recorde de whisky mais caro do mundo ao ser leiloado por US$ 2,71 milhões (R$ 13,1 milhões), superando o US$ 1,9 milhão de outra garrafa Macallan 1926 60 anos, mas com o rótulo Fine and Rare.

Não é novidade para os whiskies Macallan ocuparem a posição de mais valiosos do mundo. Esta é a décima vez que uma garrafa da destilaria detém esse título e ocupando o topo por 24 dos 40 anos, quando o primeiro recorde foi estabelecido em 1983.

Apesar do novo recorde estabelecido, o Macallan 1926 60 anos não é o whisky mais envelhecido do mundo. O The Reach, também da Macallan, possui um rótulo de 81 anos, mostrando que para ser considerado o mais valioso do mundo muitas outras características são importantes para agregar valor. 

Em cada gole, o whisky conta histórias, transmite a herança de gerações e revela a maestria por trás de sua criação. O recorde estabelecido pelo Macallan 1926 60 anos não é apenas um reflexo de sua idade, mas sim de uma tradição centenária, um brinde à paixão, à precisão e ao encanto que tornam cada gota de whisky uma experiência única e inestimável. Um brinde à arte do whisky!

Neste link, você confere a matéria da Forbes que traz mais curiosidades sobre o whisky mais caro do mundo.

Confira outros conteúdos da nossa newsletter

Gestão Dinâmica
Esfera Brasil | Transição energética e ecológica
Guia de fundos
Decifrando a importância do asset allocation nas carteiras de investimentos

Taxa para entrar na Europa e as expectativas para o iPhone 15

Taxa para entrar na Europa e as expectativas para o iPhone 15

(Tempo de leitura: 6 minutos)

Explorar o continente europeu é um sonho compartilhado por muitos, uma jornada repleta de história, cultura e paisagens fascinantes. Desde a riqueza de opções culturais até as montanhas majestosas, praias deslumbrantes e cidades enigmáticas, viajar pela Europa oferece uma experiência incomparável. No entanto, a realização desse desejo exige uma dose de planejamento e preparação.

A partir de 2024, entrará em vigor o Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (ETIAS, na sigla em inglês) para que os viajantes façam um pré-registro das suas visitas. Os cidadãos de cerca de 60 países fora da União Europeia que não precisam de visto para entrar na região, como o Brasil, terão que pagar uma taxa de €7 nas viagens aos países do bloco europeu. Os viajantes precisarão solicitar autorização para entrar na União Europeia antes da viagem através de um processo online.

Como vai funcionar?

Os turistas terão que solicitar a autorização antes da viagem, com um valor de €7 que cobrirá diversas entradas por três anos ou até que o passaporte expire, a depender do que ocorrer primeiro.

A União Europeia aconselha que as solicitações sejam feitas antes da compra das passagens ou reserva dos hotéis, já que “algumas pessoas poderão ser solicitadas a fornecer informação ou documentação adicional, ou a participar numa entrevista com as autoridades nacionais, o que pode demorar até mais 30 dias”, apesar de informar que a grande maioria das candidaturas serão processadas em até 96 horas.

Por fim, o bloco explica que o objetivo com o sistema de autorização é “combater a crise migratória e o terrorismo em seus países-membros”, além de “contribuir para a redução de filas nas fronteiras”.

Para consultar mais detalhes e informações, acesse aqui o site do ETIAS. 

Expectativas para o iPhone 15

No mundo da tecnologia, setembro sempre chega com as expectativas em relação ao evento em que a Apple anuncia suas principais atualizações. Neste ano, a grande espera está quanto ao lançamento do iPhone 15, que deve ser apresentado ao público no dia 12 de setembro, às 14h00. Nomeado como “Wonderlust”, o evento, que também terá as novidades do Apple Watch 9 e da nova versão do Apple Watch Ultra, será disponibilizado no site da empresa, nas redes sociais e na Apple TV+. 

Em meio às inúmeras possibilidades de novidades levantadas, está a troca de nome da versão “Pro Max” para “Ultra”. No fim de 2022, alguns especialistas deram que o nome seria realmente alterado, mas esse rumor perdeu força com o tempo. Agora, mais perto do lançamento, as fontes voltaram a afirmar que o rebrand pode acontecer. Segundo Andrew O’Hara, da AppleInsider, o novo conceito se tornaria uma linha premium que custaria US$200 mais caros do que o parente iPhone 14 Pro Max. Entretanto, pode ser que a empresa adie a mudança e guarde para o lançamento do iPhone 16.

Outra grande mudança está na câmera. O analista Jeff Pu, um dos especialistas no smartphone, disse que a versão mais completa terá a primeira câmera com zoom óptico da Apple, upgrade que colocaria o aparelho no nível de concorrentes que já possuem essa tecnologia.

O também analista especializado na marca, Ming-Chi Kuo, informou outra mudança importante, a implantação da entrada USB-C, extinguindo a entrada Lightning. A medida é uma resposta da marca após a União Europeia decretar o USB-C como o conector-padrão na região.

O lançamento está próximo, resta aguardar o pronunciamento oficial da gigante de tecnologia para ver quais dos rumores realmente se concretizarão.

Confira outros conteúdos da nossa newsletter

Quem seriam os ‘craques’ nos campos dos investimentos?

Portofino Apoia

Tributação de fundos exclusivos

Lançamento do PMFO11, Speciale Real Estate Funds of Funds

História, restaurantes, shows, viagem pelo sudeste da Ásia: guia do Dia dos Pais de 2023

História, restaurantes, shows, viagem pelo sudeste da Ásia: guia do Dia dos Pais de 2023

(Tempo de leitura: 7 minutos)

O Dia dos Pais é uma das datas mais prestigiadas no mundo todo, aquele dia dedicado a ter um momento especial com seu pai, seja ele de sangue ou aquela pessoa vista como referência e exemplo em nossas vidas. Mas você sabia que a data começou a ser comemorada nos Estados Unidos como forma de homenagear um veterano de guerra e que no Brasil foi um diretor do jornal O Globo e da rádio que teve a ideia de comemorar a data?

O primeiro Dia dos Pais da história

A comemoração do Dia dos Pais tem origens que remontam a diferentes culturas e tradições ao longo da história, mas a celebração moderna, como a conhecemos hoje, tem suas raízes nos Estados Unidos. Acredita-se que a ideia de um dia dedicado aos pais tenha surgido a partir de uma iniciativa da filha de um veterano da Guerra Civil Americana chamada Sonora Smart Dodd.

Em 1909, Sonora propôs a criação de um dia especial para homenagear os pais. Ela desejava honrar seu pai, William Jackson Smart, um veterano da Guerra Civil americana que criou os filhos sozinho após a morte da esposa. Em 19 de junho de 1910, aniversário de seu pai, a filha enviou à Associação Ministerial de Spokane, em Washington, uma solicitação para tornar a data oficial. 

Em 1972, o presidente Richard Nixon oficializou o Dia dos Pais como feriado nacional nos Estados Unidos, tornando-o uma data oficial de celebração em todo o país no terceiro domingo de junho de todo ano.

E no Brasil, como surgiu ?

Por aqui, a data foi impulsionada pelo publicitário Sylvio Bhering. Em 1953, precisamente no dia 16 de agosto, Bhering, diretor do jornal O Globo, teve a iniciativa de criar uma campanha para homenagear os pais brasileiros. A campanha ganhou força, e o Dia dos Pais passou a ser oficialmente comemorado no Brasil. Assim como em outros países, a data do Dia dos Pais no Brasil é móvel, sendo celebrada no segundo domingo de agosto.

Ao longo dos anos, a comemoração no Brasil se consolidou, seguindo o exemplo dos Estados Unidos, com troca de presentes, homenagens e gestos de carinho em direção aos pais e figuras paternas. 

Neste sentido, o Dia dos Pais também tem uma importância comercial muito grande. Nas datas comemorativas, é comum encontrar restaurantes e lojas cheios, promoções de presente e outras iniciativas para o “presente perfeito” para os homenageados.

Já é hora de planejar

O Dia dos Pais está chegando e você já pode começar a planejar o que fazer nesta data especial. Por isso, separamos aqui, com base nas cidades em que temos escritório no Brasil, uma lista de eventos que podem te ajudar no planejamento do dia.

Apaixonados por futebol

Exposições e shows

  • Elementar: Fazer Junto – Museu da Arte Moderna de São Paulo

https://mam.org.br/exposicao/elementar-fazer-junto

  • Rainha das Copas – Museu do Futebol

https://museudofutebol.org.br/exposicoes/rainhas-de-copas/

  • Essa Nossa Canção – Museu da Língua Portuguesa

https://bileto.sympla.com.br/event/68203/d/206376

  • Doshin: os encantos dos brinquedos japoneses – Japan House

https://www.japanhousesp.com.br/

  • Arte Cibernética – Fundação Clóvis Salgado (FCS) – Palácio das Artes

https://fcs.mg.gov.br/eventos/arte-cibernetica-obras-da-colecao-itau-cultural/

  • Roberto Carlos em Recife

https://www.eventim.com.br/artist/roberto-carlos/roberto-carlos-recife-2835119/?affiliate=BR1

Teatro

  • IRON: O Homem da Máscara de Ferro – Teatro Santander

https://www.teatrosantander.com.br/programacao/iron-o-homem-da-mascara-de-ferro.html

  • Musical O Rei Leão – Teatro Renault

https://oreileao.sales.ticketsforfun.com.br/#/event/mcXTJpXoZh8bbnvjtRmi

Para comer bem

  • Barolo Trattoria

https://www.barolotrattoria.com.br/

  • O Italiano – Restaurante

https://oitalianorestaurante.com.br/

  • Galeto Di Paolo

https://dipaolo.com.br/

De -> Para

O Dia dos Pais também é marcado pelos presentes. E essa muitas vezes é uma tarefa muito difícil, saber o que a outra pessoa quer ou gostaria. Pensando nisso, separamos aqui alguns presentes menos tradicionais do que outros.

Hotel de luxo em Roma

O Hotel de Russie, apelidado pelo poeta francês Jean Cocteau em 1917 como “paraíso na terra”, foi eleito o melhor de Roma pelo Travel + Leisure World’s Best Awards 2023.

Localizado na Via del Babuino, perto da famosa Piazza del Popolo, é famoso por receber artistas, políticos, escritores, entre outros. Pensando em aproveitar o verão europeu, as diárias neste hotel 5 estrelas começam em € 15,4 mil.

Divulgação/Hotel de Russie
Divulgação/Hotel de Russie
Divulgação/Hotel de Russie
Divulgação/Hotel de Russie

Passeio no Sudeste Asiático

Uma viagem de trem que dura três noites pode ser uma oportunidade para conhecer o sudeste asiático, com diferentes rotas, por R$ 16 mil. Em 2024, The Eastern & Oriental Express – A Belmond Train lançará duas viagens sazonais de ida e volta de Cingapura, passando pela Malásia e com paradas em destinos populares, como Penang, Langkawi e o Parque Nacional Taman Negara.

Serão oferecidas duas experiências para os clientes. A primeira é a “Essence of Malaysia: A Gateway into Malay Culture”, que explora o oeste da Malásia indo de Cingapura através de Kuala Lumpur até a ilha de Langkawi e depois Penang.  A outra é a “Wild Malaysia: Exploring Sights Unseen”, que, por sua vez, viaja pela costa leste do país.

Divulgação/Belmond
Divulgação/Belmond
Divulgação/Belmond

Sem ir muito longe

Na última semana, a Travel and Leisure divulgou uma pesquisa com as 10 cidades favoritas dos turistas na América Central e do Sul em 2023. 

  1. Cusco, Peru
  2. Cartagena, Colômbia
  3. São Paulo, Brasil
  4. Quito, Equador
  5. Buenos Aires, Argentina
  6. Mendoza, Argentina
  7. Antigua Guatemala, Guatemala
  8. Rio de Janeiro, Brasil
  9. Lima, Peru
  10. Bogotá, Colômbia

A Família Portofino deseja para você e toda a sua família um feliz Dia dos Pais, com muito amor e união.

Confira outros conteúdos da nossa newsletter

Esfera BR | Inflação e taxa de juros altas desafiam sistema financeiro global

Portofino na mídia

O downgrade na nota de crédito dos EUA

Gestão Dinâmica – Construtivos